ATENÇÃO! 2a. EDIÇÃO DO LIVRO BASE DISPONÍVEL! NA LOJA VIRTUAL DA FEDF - clique na imagem

MEU IDIOMA

ptafarcazh-CNhrenfrdeeliwhiidgaitjakoplruesuk

CADASTRE-SE

SITES RELACIONADOS



FORMAÇÃO CONTINUADA
EM ATENDIMENTO FRATERNO PELO DIÁLOGO
PROGRAMA JORNADA FRATERNA

TEMÁTICA: SUICÍDIO

“O suicídio supõe sempre a ilusão, de que se acha o candidato possuído, de se libertar da insuportável carga de dores e tristezas que o acabrunham e lhe envenenam a vida”.
(Espírito Raul Martins)
******************************************************
(...)
“Antes a nossa vida terminasse
No turbilhão de pó da sepultura,
Antes a morte fosse a noite escura
Onde o ser nunca mais se despertasse.

Ah! Se a nossa existência se acabasse,
Cessaria de certo a desventura!
Contudo, a vida é o bem que se procura,
Morrer é ver a vida face a face”.
(...)
(Espírito Hermes Fontes, poeta sergipano)


Do livro: O Martírio dos Suicidas, de Almerindo Martins de Castro, Ed. FEB.


ATENDIMENTO A PESSOAS COM TENDÊNCIAS SUICIDAS NO CENTRO ESPÍRITA

Caro Atendente Fraterno,

       Em nosso trabalho de Diálogo Fraterno no Centro Espírita, podemos receber pessoas que, de uma forma ou de outra, estejam considerando cometer suicídio ou que já tenham passado por uma ou mais tentativas de realizar esse ato. Esta possibilidade tem se tornado cada vez mais real, uma vez que as estatísticas têm demonstrado um acréscimo no número de pessoas que efetivamente cometem suicídio em nossa sociedade.
       A definição da própria palavra já expressa a gravidade do ato, isto é, “suicídio” vem do latim “sui” (si mesmo) e “caedere” (ação de matar), ou seja, matar a si mesmo.
      Reflitamos. O que leva alguém a considerar ato tão extremado? Como pensar no autoextermínio, uma vez que a própria natureza nos dotou de instintos que nos impelem à autopreservação? Que espécie de sofrimento ou dilema aflitivo pode levar alguém a estar tão desesperançado a ponto de desistir de suas possibilidades de suplantar seus problemas íntimos de forma menos violenta?
      Nós, seres humanos, somos dotados de impulsos íntimos naturais, não somente de autopreservação, como também de autoafirmação, na conquista do que consideramos nossas possibilidades de sermos felizes. Por isso, quando nos chega uma pessoa que quer desistir dessa conquista ou pensa ilusoriamente que vai encontrar uma solução de paz na fuga à existência, devemos prestar muita atenção a tudo que ela fala ou evidencia. É situação a ser considerada a sério, não importa como se nos apresenta o postulante ao desencarne.
       Porém, no contexto do Atendimento Fraterno você não terá como avaliar com segurança a situação real de conflito ou dilema íntimo subjacente às ideações suicidas de alguém. O que fazer, então, diante da Pessoa que nos afirma estar pensando em se matar? Será mesmo que podemos - no contexto do Atendimento Fraterno pelo Diálogo e dos vários recursos que possuímos na Doutrina Espírita - ser de valia para uma possível mudança de rumo na vida dessa Pessoa?

      Podemos em confiança responder que sim, certamente!!! Dentro das limitações que nos impõem as circunstâncias e o livre arbítrio de nosso Atendido...

CONDIÇÕES DO ATENDIMENTO FRATERNO
A PESSOAS COM IDEAÇÕES SUICIDAS
      Em primeira instância, você, Atendente Fraterno, deve manter em mente três condições básicas pelas quais pautará a sua ajuda.

      Limites das ações de auxílio. O primeiro limite será sua consciência do foco das ações na questão. Lembrar-se de que o atendimento fraterno em um Centro Espírita se limita:
a)    Às ações (funções) de acolhimento, consolo e esclarecimentos de aspectos informados pela Doutrina do Cristo, dentro dos parâmetros do Espiritismo; e
b)    Aos encaminhamentos aos recursos da Casa e da Doutrina Espírita para os tratamentos, aprendizagens e práticas espirituais disponíveis.

      Dentro desses parâmetros, você se valerá dos fundamentos cristãos que compõem a sua preparação para o trabalho e atuará em concordância com a terapêutica do Cristo Consolador observando, mais que tudo, os limites naturais orientadores de suas posturas e falas durante o encontro:

a) O acolhimento da pessoa deverá ser livre de censuras, rótulos e preconceitos sobre essa área das aflições humanas, com expresso respeito pela problemática de sofrimento apresentada pela Pessoa.
b) O consolo deverá ser conduzido pela empatia compassiva, evitando posturas avaliativas antecipatórias de castigos e punições.
c) Os esclarecimentos serão feitos sem injunções de mitos e tentativas de manipulação através de medo das consequências do ato, propiciando a libertação da consciência para as verdades espirituais e, portanto, a utilização do livre-arbítrio na escolha de conduta futura.

       Consciência do trabalho primordial a ser realizado. Seu trabalho primordial durante o Diálogo Fraterno será o de oferecer à Pessoa em atendimento um campo acolhedor e pacífico, de aceitação incondicional e ausência absoluta de críticas ou admoestações. Que ela possa, através do campo vibratório e das ações que você empreender, se conscientizar de que aportou em um porto seguro que lhe oferece possibilidades de se acolher e se tratar com compaixão e cuidado. Que ela possa ainda se sentir motivada a algumas das ações que você lhe indicará para sua autoajuda emocional-espiritual.

       Preparação anterior sistemática. Para realizar essa tarefa, você deverá estar preparado, de forma geral como Atendente Fraterno dentro da metodologia do Cristo Consolador e também de forma específica, através de uma formação continuada que focalize os aspectos próprios do atendimento a pessoas com tendências suicidas no ambiente de uma Casa Espírita. Portanto, reveja a seguir as bases nas quais você deverá preparar-se para esses atendimentos.

Base indispensável. Uma condição essencial para que você - no seu trabalho de Atendimento Fraterno pelo Diálogo -  saiba como agir nesses casos é que você tenha se preparado para cuidar das situações que implicam sofrimento, realizando um sistemático trabalho de capacitação para tal. Os aspectos básicos dessa preparação são oferecidos neste site, através dos estudos contidos no menu Formação em Atendimento Fraterno (Programa Jornada Fraterna: Curso Básico). Eles constituem uma indispensável base para entendimento da Terapêutica do Cristo a ser utilizada na compreensão e auxílio às pessoas em sofrimento profundo.

Formação continuada. Em sequência, sua preparação deverá ser completada com o estudo dos aspectos essenciais específicos da temática, neste caso do atendimento a suicidas em potencial, dentro do ambiente espírita. Para ajuda-lo nesta tarefa, ofereceremos materiais que você poderá encontrar neste site, sobre essa temática.

MATERIAIS SOBRE CUIDADOS ÀS PESSOAS
COM TENDÊNCIAS SUICIDAS
       Na prática do cuidado à Pessoa com tendências suicidas podemos observar que cada atendimento, em sua forma específica, é único. A identificação dos aspectos particulares a cada caso estará sujeita à sua preparação espiritual-doutrinária, aos seus conhecimentos e suas habilidades em atender e dialogar.
       Adicionalmente, existem na literatura científica e espírita conhecimentos suficientemente confiáveis para nos informar sobre a temática. Portanto, nossa contribuição produtiva no auxílio às pessoas que passam por esse tipo de sofrimento requer que tenhamos conhecimentos que nos ajudem a compreender o processo específico que ela está atravessando. Isto é indispensável para que possamos utilizar a terapêutica do Cristo Consolador ao dialogar com ela.
      Os materiais a seguir poderão proporcionar a você uma síntese de conhecimentos nesta área. Todos os materiais que recomendamos passaram por análise quanto à sua adequação aos propósitos e metodologia do Cristo Consolador. Estão distribuídos nas seguintes seções.

Material conceitual que apresenta uma síntese que consideramos básica para esta Formação Continuada, incluindo aspectos sobre como atender e cuidar de Pessoas com tendências suicidas no Centro Espírita.
Bibliografia brevemente comentada, incluindo especificação de livros recomendados para indicação aos Atendidos e aqueles que servem para estudo pelo Atendente.
Materiais diversos sobre suicídio, selecionados criteriosamente para focalizar aspectos particulares da temática.

Para acesso às seções de conteúdo sobre suicídio, volte ao menu principal da temática e escolha o material que deseja estudar.

CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Neuza Zapponi de Mello

     Escritora; palestrante; facilita cursos de autotransformação (reforma íntima) e formação de trabalhadores espíritas. Filiações de trabalho: Federação Espírita do Distrito Federal (FEDF) e Comunhão Espírita de Brasília. Profissional por quarenta e sete anos em Psicologia e Educação. Vasta experiência no atendimento a pessoas em sofrimento profundo (perdas, traumas, crises severas, doenças graves). Professora-doutora aposentada da Universidade de Brasília (UnB). Ex-professora da University of Texas (USA).

MULTIPLICADORES DE FORMAÇÃO
Luiz Fernando Marques
Márcia Elise B G Almeida
Moisés Shalon G de Almeida
Rívea F Maia
Ruth Meireles Daia

 FEDF (DAE) – MEMÓRIA 10 ANOS: 2006-2016
FORMAÇÃO DE TRABALHADORES EM ATENDIMENTO FRATERNO
Clique na imagem para ver o arquivo